De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Colunistas

Como humilhar ainda mais os desempregados?

“Ministérios assinam protocolo para colocar desempregados a proteger florestas” – Mais uma estupidez. Então quer dizer, se por azar alguém cai agora no desemprego irá começar a ser literalmente obrigado a prestar serviços em sítios que deveriam estar a ser vigiados e tratados por profissionais? Trabalho à borla? Parece-me bem. É assim que o país vai para a frente, sem dúvida. Com uma taxa de desemprego altíssima, assim torna-se facílimo de incentivar as pessoas a abandonarem este barco roto. O subsídio de desemprego é um direito obrigatório pelo qual as pessoas descontaram e de certeza que ninguém fica a receber essas prestações com um orgulho imenso.

Vou gostar de ver muitos médicos, enfermeiros, advogados, engenheiros especialistas do arco da velha, a vigiar mato e a realizar a sua manutenção. E aqui não vale aplicar aquela coisa do: “Ah e tal, tenho qualificações”. Se tu, que estás a ler isto achaste piada à notícia, é bom que prepares o teu corpo porque hoje estás mais próximo do desemprego do que do posto de trabalho sólido.

Então e os meninos e meninas que recebem o RSI? Muitos durante anos a fio, não aparecem nestas notícias? É certo que há muita gente que de facto não reúne condições físicas nem psicológicas para terem um emprego, talvez noutro país mais avançado até tivessem, mas mesmo assim, talvez essas pessoas fossem as primeiras a terem uma intervenção na manutenção das nossas florestas por vários motivos. Se o objectivo é integrá-las, talvez fosse desde logo a melhor forma.

Presos. Os presos também creio que tivessem aqui uma grande intervenção. Quer dizer, fartam-se de ter actividades dentro dos estabelecimentos prisionais, com alimentação e tecto para dormir, e porque é que não fazem uma prestação útil ao país? Era também uma óptima forma de reintegrá-los na sociedade, estando em contacto com a população mas claro, sempre vigiados. Era demais, não era? O objectivo aqui é mesmo chatear aqueles que tiveram a infelicidade de cair no desemprego e que muitas vezes, mesmo fazendo uma busca activa de emprego, não têm sucesso. A saturação de mercado está de tal forma, que mesmo que o empregado queira lutar por um contrato melhor, não tem hipótese.

O objectivo disto é pressionar as pessoas a arranjarem emprego, é isso? Então criem vocês, senhores do governo, condições às empresas para acolherem os desempregados, criem medidas mais atractivas e deixem-se de pressionar quem está efectivamente no mercado activo e na busca activa de emprego.