De que está à procura ?

Lifestyle

Biblioteca Nacional do Luxemburgo revela “coleções portuguesas”

António Gamito, Embaixador de Portugal no Luxemburgo visita e inaugura dia 3 de outubro a Biblioteca Nacional do Luxemburgo (BNL) no âmbito da apresentação de documentos portugueses das coleções especiais daquela instituição por Christophe Marinheiro, responsável pelas coleções ibéricas e pela coleção de gravuras raras e preciosas.

A 12 de março de 1572, António Gonçalves, tipógrafo em Lisboa, publica a primeira edição de “Os Lusíadas”, a epopeia em 10 canções de 1.120 estrofes, tornando o povo português orgulhoso herdeiro de Eneias através das conquistas marítimas, iniciando por elas a primeira globalização.

“450 anos depois, a segunda globalização está em andamento, na qual Luxemburgo se tornou um ator fundamental”, pode ler-se em comunicado da BNL enviado ao BOM DIA. A biblioteca considera que as trocas entre os dois países não terão esperado pela onda migratória iniciada na década de 70.

“Muito antes disso, documentos atestam um intenso intercâmbio cultural”, pode ler-se no comunicado.

Peças reveladoras, do século XV ao XX, serão apresentadas na sala de leitura da BNL no dia 3 de outubro a partir das 14 horas, inaugurando uma exposição que dura até ao final do ano. De um fragmento em galaico-português da Crónica de Espanha da segunda metade do século XV, a uma antiga edição de Os Lusíadas, além de várias obras da imprensa de Peter van Craesbeeck (1552-1632) , nascido em Lovaina e falecido em Lisboa, os tesouros são muitos.

No contexto desta exposição e o âmbito dos 450 anos da primeira edição de “Os Lusíadas”, de Luís de Camões, Christophe Marinheiro profere na BNL no dia 7 de novembro, às 19 horas, uma conferência intitulada “Portugal através dos tempos”.

TÓPICOS