De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Suíça

Portugueses da Suíça que chegam à reforma estão a regressar

Há uma vaga inédita de portugueses a deixar a Suíça. É já considerado um “caso excecional” na história da emigração portuguesa. Pensões de reforma baixas e impostos motivam retorno sem precedentes na história da emigração portuguesa, explica numa reportagem especial este fim-de-semana o jornal Expresso.

O número de portugueses a deixar aquele país europeu, durante décadas um dos principais destinos da emigração nacional, está a aumentar há seis anos e disparou nos últimos dois. Só em 2018, foram mais de 10 mil, o dobro de 2013. E pelo segundo ano consecutivo houve mais portugueses a sair da Suíça do que a entrar (…). “Chegámos a um ponto em que a comunidade está a diminuir. Isso só aconteceu em destinos não europeus, como os Estados Unidos ou o Canadá”, diz Rui Pena Pires, coordenador do Observatório da Emigração.

Só da cidade de Chaux-de-Fonds, junto à fronteira com a França, saíram 400 famílias portuguesas no ano passado. E há regiões como Friburgo onde vários prédios quase exclusivamente habitados por portugueses estão agora a ficar sem ninguém. A primeira geração de portugueses na Suíça está a chegar à reforma e a pensão é demasiado baixa para o custo de vida.

Dados da Secretaria de Estado das Migrações da Suíça, citados pelo Expresso, mostram que metade dos portugueses que saíram daquele país no ano passado tinham autorização de residência permanente (ou seja, viviam no país há mais de cinco anos). Cerca de 40% tinham entre 40 e 64 anos, mas tem aumentado a proporção dos que têm mais de 65. E embora não seja certo que todos regressem a Portugal, os investigadores admitem que a maioria está a voltar à terra natal.

Mas há outras razões para o regresso, como o desemprego ou o facto de os salários não terem acompanhado o aumento do custo de vida. “Alguns portugueses deixaram de esconder a miséria em que viviam. Há quem tenha dívidas porque o salário não chega para as despesas ou porque está desempregado”, disse Nuno Santos, presidente da Associação de Apoio à Comunidade Portuguesa na Suíça.

Leia a reportagem completa do Expresso aqui.