De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Portugal

Morreu Jorge Coelho

O ex-ministro socialista Jorge Coelho morreu esta quarta-feira. Tinha 67 anos.

Jorge Coelho filiou-se no Partido Socialista em 1982. Nesse mesmo ano é nomeado chefe do gabinete do Secretário de Estado dos Transportes do IX Governo Constitucional, Francisco Murteira Nabo (1983-1985).

A experiência executiva seguinte foi em Macau, onde foi chefe do gabinete do Secretário de Estado Adjunto dos Assuntos Sociais, Educação e Juventude de Macau (1988-1989) e, já em funções governativas na mesma região, no cargo de Secretário Adjunto para a Educação e Administração Pública (1989-1991).

Após o regresso a Portugal foi o “homem da máquina” socialista. Muito próximo de António Guterres, teve uma participação activa na eleição de Guterres para Secretário-Geral do Partido Socialista, em eleições ganhas a Jorge Sampaio. Depois, Jorge Coelho assegurou toda a estrutura que montou a campanha eleitoral vitoriosa do PS nas eleições Legislativas de 1 de Outubro de 1995.

Dez anos depois, o Partido Socialista regressou ao estatuto de partido maioritário na Assembleia da República e com o líder a ser Primeiro-Ministro. Nas eleições Legislativas seguintes, em 10 de outubro de 1999, o PS voltou a ganhar António Guterres como líder do PS e Durão Barroso como líder do PSD) com a situação insólita de alcançar 115 deputados, exactamente metade do número de deputados da Assembleia da República. Também nestas eleições, Jorge Coelho assumiu o papel de líder da organização da campanha eleitoral.

No primeiro Governo liderado por António Guterres, o XII Governo, com posse a 28 de Outubro de 1995, Jorge Coelho assumiu o cargo de Ministro-adjunto de António Guterres. Na remodelação de 25 de novembro de 1997, acumulou o cargo de Ministro-Adjunto com o de Ministro da Administração Interna.

Das iniciativas tomadas como Ministro-Adjunto destaca-se a criação das Lojas do Cidadão. Em conjunto com o seu secretário de Estado da Administração Pública, Fausto Correia lançam em Portugal o conceito de Loja do Cidadão, cedntro de atendimento de várias entidades públicas, agregando e ligando serviços num só espaço.

No XVI Governo, após as eleições Legislativas de 1999, Jorge Coelho tomou posse dos cargos de Ministro da Presidência e Ministro do Equipamento Social (Obras Públicas).

Na remodelação de 14 de setembro de 2000, Jorge Coelho manteve o cargo de Ministro do Equipamento Social e deixou o de Ministro da Presidência para passar a Ministro de Estado.

Na sequência da queda da Ponte Hintze Ribeiro de Entre-os-Rios, Castelo de Paiva, na Tragédia de Entre-os-Rios, a 4 de março de 2001, onde morreram 59 pessoas, Jorge Coelho pediu a demissão do Governo assumindo a responsabilidade política pelo acidente e que «não ficaria bem com a minha consciência se não o fizesse». A sua última decisão no cargo foi pedir um inquérito porque «a culpa não pode morrer solteira»”.

Foi substituído, em 10 de março de 2001, por Ferro Rodrigues no cargo de Ministro do Equipamento Social.

Após a saída do Governo, Jorge Coelho continuou a assumir um papel central no PS e coordenou ainda a campanha eleitoral das eleições Legislativas de 20 de Fevereiro de 2005, onde o PS conseguiu a sua primeira maioria absoluta, e também das autárquicas de Outubro de 2005.

Em Novembro de 2006 renunciou ao mandato de deputado e abandonou todos os cargos partidários para se dedicar à actividade profissional.

Em 2016 Jorge Coelho funda a Queijaria Vale da Estrela, situada em Mangualde, muito próximo de Contenças, onde nasceu. A empresa dedicar-se-á à produção de queijos Serra da Estrela, tendo, segundo a imprensa, formalizados acordos com os grupos SONAE, Jerónimo Martins e El Corte Ingles, logo que esteja concluído o processo de certificação DOP (Denominação de Origem Protegida).

A renúncia ao cargo de membro do Conselho de Estado, em 2008 teve lugar quando do convite para o cargo de CEO do Grupo Mota-Engil. Antes, Jorge Coelho realizou para o Grupo Mota-Engil o plano estratégico do grupo entre 2009 e 2013, designado ”Ambição 2013”.

Ao assumir este cargo também deixou de ser comentador no programa Quadratura do Círculo, na SIC Notícias. Posteriormente, em março de 2013, voltou a ser comentador da emissão tendo abandonado há uns meses a Circulatura do Quadrado.