De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Europa

Marcelo pede decisões na Europa em velocidade de cruzeiro

O Presidente da República afirmou este sábado que é do interesse da Europa “ter lideranças em velocidade de cruzeiro”, para que haja distribuição de pastas entre os comissários das várias nacionalidades, relembrando a importância da paridade na escolha das personalidades.

“Não vou antecipar juízos, vamos esperar para ver. É do interesse da Europa que, respeitada a competência dos vários órgãos, e aí a competência, em última análise, é do Parlamento Europeu, possa ter lideranças em velocidade cruzeiro o mais rápido possível para que haja a distribuição das pastas”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações ao jornalistas, reiterando a importância acrescida da rápida aprovação do quadro financeiro plurianual para Portugal.

O Presidente da República chegou hoje à noite a Paris para participar no domingo no tradicional desfile militar do Dia da Bastilha.

Antes de um jantar na residência do embaixador de Portugal em França, o chefe de Estado falou sobre a confirmação de Ursula von der Leyen, candidata a presidente da Comissão Europeia, o que deverá ocorrer na terça-feira.

“Era muito importante que ficasse desde já [confirmada]”, acrescentou Marcelo Rebelo de Sousa.

Quanto ao novo comissário europeu, o Presidente relembrou que caberá à presidente, caso seja aprovada, formar a equipa em conjunto com os governos, mas relembrou a importância da paridade.

“Primeiro, é preciso que haja presidente da Comissão Europeia investido, em segundo lugar, ele forma a equipa, neste caso ela. E com uma preocupação de paridade. O que implica olhar para a competência e apetência dos vários países e dos vários nomes”, indicou Marcelo Rebelo de Sousa.

No domingo, Marcelo Rebelo de Sousa assiste ao desfile militar francês na tribuna de honra, ao lado do Presidente Emmanuel Macron, e participa num almoço com personalidades como a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente da Comissão Europeias, Jean-Claude Juncker.