De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Comunidades

MAPS celebrou 51 anos

A organização de serviços sociais para falantes de língua portuguesa em Massachusetts, nos Estados Unidos, conhecida como MAPS, celebrou este sábado, em Boston, 51 anos de serviços à comunidade com cerca de 300 convidados.

Depois de vários adiamentos desde o ano passado, quando se marcava o meio século desde o início das atividades de prestação de apoio a imigrantes, a gala 50+1 da Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers (MAPS) decorreu na última noite num hotel em Boston, começando com um leilão silencioso, com o objetivo de angariar 175 mil dólares durante a noite.

Após o jantar, a cerimónia de aniversário teve segmentos para cada uma das cinco décadas da história da organização, com homenagem aos “construtores” e às pessoas que fizeram parte importante do percurso da MAPS.

Paulo Pinto, diretor executivo da MAPS, disse à Lusa, à margem do evento, que “é ótimo ter a comunidade a juntar-se, finalmente”.

Segundo o diretor executivo, a organização teve de passar “muitos obstáculos” nos últimos anos e especialmente durante a pandemia de covid-19, quando tiveram de se fechar os vários escritórios da organização em seis cidades do Estado de Massachusetts.

As comunidades de língua portuguesa em Massachusetts, no entanto, continuaram a ser apoiadas e servidas em várias frentes (saúde mental, ajuda a seniores e terceira idade, apoio às vítimas de violência doméstica), com consultas e assistência terapêutica a ser dadas por telefone ou por internet, em português, inglês e também espanhol.

Desde maio do ano passado, a organização distribuiu cerca de 500 mil dólares por quase mil indivíduos afetados pela pandemia, principalmente os que perderam empregos e fontes de rendimento.

O apoio financeiro de mais de meio milhão de dólares foi canalizado nos pagamentos de aluguer ou das despesas de eletricidade ou alimentação para as pessoas em necessidade, através de cheques, cartões de oferta para supermercados, senhas de alimentação ou transferências diretas para as companhias de serviços.

“Foram várias maneiras criativas que nós tentámos usar para manter as comunidades unidas e com apoio durante um tempo bastante difícil”, frisou Paulo Pinto.

Durante as últimas cinco décadas, a MAPS esteve focada na prevenção, testagem e tratamento de doenças sexualmente transmissíveis, apoio à imigração nos EUA, centro de terceira idade, ou programas de aumento da consciência do público sobre a violência doméstica ou abuso sexual, com ajuda a sobreviventes.

Para Mary Ann Lomba, membro do conselho diretivo da MAPS, que está com a organização há 30 anos, a festa teve um sabor “agridoce”, porque não foi feita no ano passado, quando realmente se marcava meio século da organização

“Mas também gosto de 50+1, porque diz que há um futuro”, acrescentou a cabo-verdiana que passou grande parte da sua vida nos EUA, à agência Lusa, à margem do evento.

“Cinquenta e um anos depois, muitos dos que foram ajudados pela organização aprenderam inglês, tornaram-se cidadãos norte-americanos, estiveram saudáveis, sem doenças e seguros da violência, empoderaram-se com conhecimentos e recursos e atingiram o sonho americano em negócios, educação, saúde, propriedades imobiliárias, liderança e participação cívica”, disse Paulo Pinto durante o discurso de abertura da gala.

A MAPS foi formada pela fusão da Cambridge Organization of Portuguese Americans (COPA), fundada em 1970, e Somerville Portuguese American League (SPAL), fundada em 1973, duas entidades independentes que prestavam o mesmo tipo de apoio à comunidade na mesma área.

Susan Pacheco, presidente do conselho diretivo da MAPS, explicou durante a gala que as duas precedentes da MAPS foram formadas “durante o crescimento de uma onda de imigração de portugueses” na região de Nova Inglaterra, onde o Estado de Massachusetts se situa.

A onda de imigração portuguesa em Massachusetts foi especialmente forte nos anos 1960, começando com a erupção vulcânica dos Capelinhos, no Faial, Açores, em 1957, e continuando até os anos de 1990 com apoio de uma legislação favorável à imigração aprovada pelo Congresso dos Estados Unidos da América em 1965.