De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Portugal

Mais de 3 mil profissionais de saúde infetados em Portugal

O secretário de Estado da Saúde revelou que há 3.317 profissionais de saúde infetados com o novo coronavírus, responsável pela doença covid-19, entre os quais 480 médicos e 1.088 enfermeiros. Somam-se 935 assistentes operacionais, 159 assistentes técnicos e 105 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica infetados, revelou António Lacerda Sales, na conferência de imprensa diária de atualização de dados sobre a pandemia em Portugal.

António Lacerda Sales também revelou que os dados acumulados apontam para 1.071 profissionais de saúde recuperados.

“Dou nota deste sinal de esperança de que o número de profissionais (recuperados) ultrapassou os 1.000 e são 1.071”, frisou António Lacerda Sales.

Ainda confrontado com notícias que dão conta de casos em serviços hospitalares, como aconteceu no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e questionado sobre se é intenção do Ministério da Saúde fazer uma testagem massiva de profissionais de saúde que não apresentam sintomas, mas podem estar infetados, o governante admitiu que a estratégia está a ser “revista”.

“Estamos a rever a nossa estratégia de abordagem à testagem dos profissionais de saúde [assintomáticos]. Estamos numa fase de ouvir peritos, médicos nesta matéria para podermos, se assim o considerarmos útil, fazermos uma revisão da norma 13”, disse o secretário de Estado da Saúde.

Na quarta-feira a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, confirmou, também nesta conferência de imprensa diária, que nove profissionais de saúde e três doentes do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, testaram positivo à covid-19 e referiu que ainda há 25 análises em curso, isto depois da TVI ter avançado que havia pelo menos dez casos positivos, entre profissionais de saúde, assistentes operacionais e pacientes, no internamento de pneumologia do hospital, sendo que a DGS tinha apenas confirmado dois casos na terça-feira.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

O Governo aprovou novas medidas que entraram em vigor na segunda-feira, entre as quais a retoma das visitas aos utentes dos lares de idosos, a reabertura das creches, aulas presenciais para os 11.º e 12.º anos e a reabertura de algumas lojas de rua, cafés, restaurantes, museus, monumentos e palácios.

O regresso das cerimónias religiosas comunitárias está previsto para 30 de maio e a abertura da época balnear para 06 de junho.