De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Europa

Erro no Excel deixou 125 mil infetados por covid fora das listas

Um erro no Microsoft Excel que eliminou quase 16 mil casos de covid-19 das estatísticas do Reino Unido pode ter levado a mais de 1.500 mortes evitáveis, de acordo com um artigo da Warwick University.

Os casos que foram removidos do registo devido ao erro no Microsoft Excel não foram encaminhados para a operação de teste e rastreamento do NHS (Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido), o que significa que as pessoas que foram expostas à covid-19 não souberam que precisavam de se isolar.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, uma análise dos dados sugere que essas referências perdidas estão associadas a mais de 125 mil infecções e 1.500 mortes por covid-19.

Thiemo Fetzer e Thomas Graeber, economistas da Warwick University, descobriram o efeito graças a uma anomalia estatística nos dados. Diferentes partes da Inglaterra foram afetadas pelo erro em diferentes graus – e o número de casos perdidos é suficientemente aleatório para tratar o erro como uma “quase-experiência”.

Isto significa que o resultado pode ser analisado como se algumas áreas tivessem sido atribuídas aleatoriamente ao rastreamento de contato menos eficaz, com outras a agir como um grupo de controle. Ao comparar os dois grupos, o artigo estima a eficácia do rastreamento de contatos para salvar vidas e quantas vidas podem ter sido perdidas devido ao erro.

“A falha específica de rastreamento de contacto oportuno devido à falha de dados está associada a algo entre 126.836 (22,5% de todos os casos no período pós-tratamento em consideração) e 185.188 (32,8%) casos adicionais e com entre 1.521 (30,6% de todas as mortes) e 2.049 (41,2%) mortes adicionais relacionadas com covid-19”.

Os investigadores “aconselham cautela contra considerar esses tamanhos de efeito pelo valor de face” devido à estrutura complexa da pandemia.

“A boa notícia – se os autores estiverem corretos de que este foi um evento puramente aleatório – o rastreamento de contacto realmente funciona e é de vital importância para impedir a propagação do vírus. A má notícia – este único erro pode ter matado indiretamente cerca de 1.500 pessoas e, implicitamente, atrasos do governo e falhas no rastreamento de contactos podem ser responsáveis ​​por muito mais mortes”, disse Jonathan Portes, professor de economia na King’s College London.