De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Comunidades

Emigrantes do Reino Unido preferem ir a Portugal em vez do Consulado

Quem telefona para o Consulado Geral de Portugal em Londres é imediatamente avisado da falta de capacidade de resposta dos serviços. A Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas lembra que o Reino Unido constituiu, ao longo da última década, “o maior destino de emigração portuguesa”, com mais de 120 mil portugueses a emigrarem para o Reino Unido entre 2011 e 2015.

Segundo os dados mais recentes do Governo, existem 309 mil portugueses detentores do número de segurança social, “indispensável para garantir os direitos laborais”. Já na rede consular no Reino Unido, estão 302 mil portugueses inscritos, dos quais 245 mil na área de jurisdição de Londres e 57 mil em Manchester.

Os números apontam ainda para um crescimento de 52% do número de atos consulares, entre 2013 e 2018, em Londres e em Manchester, passando de 76 mil para 116 mil atos consulares nos referidos anos. Mensalmente, são praticados 9500 atos consulares no Reino Unido, o que, segundo a Secretaria de Estado das Comunidades, “traduz a afluência aos serviços”.

São números tão grandes quanto numerosas são queixas dos cidadãos portugueses sobre o funcionamento do consulado português em Londres, entre atrasos na resposta a pedidos de renovação do passaporte e do cartão de cidadão, registos de nascimento ou casamento, a mera inscrição na representação diplomática ou o exercício do direito de voto, o que em alguns casos obriga a viagens de urgência a Portugal.

O Governo garante, por sua vez, que todos os casos “urgentes” são resolvidos de imediato. Em informação enviada ao jornal Público, a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas esclarece ainda que tem vindo a implementar um conjunto de medidas de forma a melhorar os serviços consulares no Reino Unido, tais como a contratação de pessoal, a colocação de computadores e a renovação da rede informática, assim como o reforço das permanências consulares (com funcionários do consulado a deslocarem-se aos locais mais distantes) e canais para esclarecer a comunidade sobre o “Brexit”.