De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Comunidades

Cooperação entre cidades portuguesas e francesas promovida em Paris

A Activa, grupo de amizade entre as cidades de França e Portugal, quer promover novas formas de cooperação entre as mais de 200 geminações dos dois países na estreia no Salão dos Presidentes da Câmara franceses, em Paris.

O Congresso e Salão dos Presidentes de Câmara de França, o maior evento dos municípios franceses, começou em Paris e até quinta-feira acolhe milhares de pessoas, entre dirigentes locais, dirigentes nacionais e empresas. Até dia 22 de novembro, Portugal está representado com um stand daquele grupo de amizade entre as cidades de França e Portugal.

“O objetivo é falar com o máximo de cidades francesas e mostrar que há cidades portuguesas que também querem estes protocolos. Vamos responder às dúvidas de quem se quer geminar ou assinar protocolos com cidades portuguesas. Queremos dar às câmaras em Portugal e em França um conjunto de recursos para estarem em contato”, explicou Hermano Sanches Ruivo, presidente da Activa e conselheiro de Paris, em declarações à Lusa.

A inauguração do espaço franco-português, esta terça-feira, contou com a presença do cônsul-geral de Portugal em Paris, António Moniz, de eleitos locais franco-portugueses, eleitos portugueses e ainda representantes de associações do poder local. Pedro Cegonho, presidente da ANAFRE – Associação Nacional de Freguesias, acedeu ao convite da Activa, recordando que as freguesias são hoje um ponto de contacto com os emigrantes que regressam a Portugal.

“Olhamos agora para as comunidades de portugueses no estrangeiro de outra forma porque temos notado que quando um português regressa a Portugal, a primeira entidade nacional onde se dirige é à sua freguesia”, afirmou Cegonho em declarações à Lusa.

No entanto, as oportunidades não ficam por aí. “Faz sentido este contato com luso-descendentes que têm funções públicas no estrangeiro para encontrar oportunidades de diálogo, de trabalho e até de trazer desenvolvimento económico através de geminações entre freguesias e pequenas comunas em França”, admitiu Pedro Cegonho.

Foi a ideia de partilhar “não só o folclore, a música e o futebol” em França, que fez com que Rosa Macieira Dumoulin, vereadora de Antony – cidade nos arredores de Paris – e vice-presidente da Ativa, propusesse à sua cidade um protocolo de cooperação e amizade com a Câmara de Arcos de Valdevez.

“É uma cidade muito dinâmica e aberta ao exterior, foi isso que me interessou. Queremos que as pessoas que vivem em Antony saibam o que se passa nos Arcos e que as pessoas dos Arcos conheçam Antony, mas não só a parte cultural, quero também que haja trocas entre os nossos serviços municipais e noutros aspetos, como a economia e a ecologia”, afirmou Rosa Macieira Dumoulin, que vive em França desde os cinco anos.

Também é deste tipo de cooperação que a câmara de Montemor-o-Velho procura neste salão da capital parisiense. Agora que, segundo José Veríssimo, vice-presidente da Câmara de Montemor-o-Velho, o concelho “já resolveu o desenvolvimento tecnológico e a situação financeira”, querem mais.

“Queremos partir para mais ideias e mais desenvolvimento para a nossa região. Queremos abrir as nossas oportunidades. Somos um concelho pequeno, mas temos muitas atividades para oferecer”, disse Veríssimo à Lusa.

Como noutros casos, Montemor-o-Velho já tem uma geminação com Cerizay, uma cidade na zona de Nantes, mas os laços perderam-se nos últimos anos. O mesmo aconteceu com Nogent Sur Marne e a Nazaré. “A geminação não funciona nem bem nem mal, não funciona. A partir da crise em Portugal não houve mais contatos com a Nazaré, não foi por não querermos trabalhar com eles”, assegurou Philippe Pereira, luso-descendente e vice-presidente da Câmara de Nogent sur Marne – cidade nos arredores de Paris.

Com as associações locais de emigrantes portugueses a pedirem uma nova cooperação para Nogent sur Marne, a escolha recaiu na Figueira da Foz. “O acordo de amizade com a Figueira da Foz está a funcionar muito bem, já tivemos intercâmbios de jovens e de associações desportivas. Agora queremos tocar na economia, estabelecendo parcerias entre empresas portuguesas e francesas”, disse Philippe Pereira, sublinhando que os habitantes de Nogent sur Marne começam já a conhecer a cidade portuguesa.

A Activa quer agora promover o primeiro encontro de cidades geminadas entre Portugal e França, continuando a apostar nos laços de cooperação entre os dois países.