De que está à procura ?

Portugal

Cinema como forma de educar

Educar e incluir através da promoção de uma linguagem artística em torno do Cinema é o objetivo do projeto de investigação INSERT, desenvolvido pelo Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes (CITAR) da Escola das Artes, da Universidade Católica no Porto.

Durante 18 meses, entre 2022 e 2023, este projeto vai envolver também investigadores do Centro de Investigação para o Desenvolvimento Humano (CEDH) da Faculdade de Educação e Psicologia, contando ainda com a Direção-Geral da Educação e o Plano Nacional de Cinema como parceiros.  

“O principal propósito do INSERT é o de diminuir as desigualdades sociais através da promoção da literacia fílmica,” explica Pedro Alves, coordenador do projeto, docente da Escola das Artes e investigador do CITAR. Como? Proporcionando e orientando professores e alunos para a utilização de um conjunto de recursos que contribuirão para a dinamização de projetos cinematográficos pedagógicos em contexto escolar, de caráter flexível, autónomo e inclusivo. 

A importância desta iniciativa para a comunidade educativa assenta na possibilidade de se diminuírem as desigualdades no acesso a diferentes oportunidades e estratégias de ensino ou aprendizagem. É um projeto integrado e fundamentado nas atuais estratégias nacionais e internacionais de literacia e pedagogia fílmicas, em que o que se procura é “fazer chegar a mais escolas, docentes e estudantes a oportunidade de contactar com o cinema,” refere Pedro Alves. O coordenador do projeto acrescenta ainda que “dentro de 18 meses esperamos ter testado e aprimorado devidamente uma metodologia de aprendizagem e experimentação cinematográficas que faça sentido disseminar de uma forma mais ampla e aberta”. 

Pedro Alves, que é também coordenador da licenciatura em Cinema da Escola das Artes, afirma ainda que “este projeto responde à necessidade contemporânea de flexibilidade e inclusão nas escolas, promovendo uma linguagem artística e uma estratégia de aprendizagem e ação que aproximará todos os intervenientes da comunidade escolar”. A metodologia do projeto será testada em cinco escolas do Norte do país para depois poder ser disseminada numa escala mais global, quer nacional quer internacional. “Em 2023, prevê-se que o INSERT possa ser uma ferramenta online de acesso aberto, cientificamente sólida e pedagogicamente rica, de forma a ser utilizada em diferentes contextos, por diferentes intervenientes, com diferentes objetivos e abordagens,” conclui Pedro Alves.  

Desenvolvido pelo Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes (CITAR) da Escola das Artes, da Universidade Católica no Porto, o projeto de investigação INSERT é financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). 

TÓPICOS