De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Desporto

Braga e Tondela guardaram espetáculo para o fim

O Sporting de Braga venceu esta segunda-feira o Tondela por 3-1, na sexta jornada da I Liga, mas só conseguiu dar início ao triunfo na reta final, fase em que surgiram todos os golos da partida.

Depois de 80 minutos em ‘branco’, Iuri Medeiros, com um ‘bis’ (81 e 90), e Ricardo Horta (84) marcaram para os minhotos, tendo o azeri Dadashov reduzido para os beirões (86).

Foi uma vitória justa do Sporting de Braga, que interrompe um ciclo de três jogos sem ganhar e apenas um golo (empates para a I Liga e derrota na Liga Europa, com o Estrela de Vermelha, por 2-1) e sobe à quinta posição, enquanto o Tondela, que mostrou personalidade, somou a quinta derrota consecutiva e continua na cauda da tabela.

Com quatro alterações em ambas as equipas – Sequeira, Yan Couto, Fábio Martins e Chiquinho voltaram à titularidade no Braga e Neto Borges, Manu Hernando, Pedro Augusto e Jhon Murilo no Tondela -, a primeira equipa a criar uma clara situação de golo foi o Tondela.

Salvador Agra, sem oposição, no ‘coração’ da área, após centro de Daniel dos Anjos da direita, atirou de primeira por cima, aos 10 minutos.

Os bracarenses responderam na mesma moeda logo a seguir, com Chiquinho a atirar ligeiramente ao lado, após assistência de Fábio Martins, dois minutos depois (12).

O Sporting de Braga tinha muita posse de bola, mas ao chegarem à zona decisiva, os jogadores de Carlos Carvalhal mostravam muita cerimónia na hora de rematar.

Na véspera, o treinador ‘arsenalista’ tinha identificado erros sobretudo no processo ofensivo da equipa e a verdade é que essa dinâmica só melhorou na parte final, quando o ‘ketchup’ dos golos começou a ‘sair’ e já com o Tondela entregue.

Pouco agressivos a defender, os minhotos permitiam ao Tondela explanar o seu jogo e só no período de ‘descontos’ a equipa da casa voltou a estar perto da baliza adversária, com destaque para um falhanço de Ricardo Horta, após centro de Yan Couto (45+3).

Carlos Carvalhal lançou André Horta e Galeno após o intervalo e, pouco depois, o técnico teve que mexer novamente, já que Abel Ruiz se lesionou num lance com Sagnan, tendo entrado Mario González (52 minutos), que reencontrou a sua antiga equipa, pela qual marcou 15 golos na época passada.

No espaço de um minuto (59 e 60), o avançado espanhol, ainda em ‘branco’ pelos bracarenses e claramente com falta de confiança, desperdiçou duas boas situações, especialmente a primeira, preferindo tentar assistir André Horta quando estava de frente para o guardião dos beirões.

O Sporting de Braga só desatou o ‘nó’ aos 81 minutos, quando Iuri Medeiros não perdoou uma defesa incompleta de Niasse. Ricardo Horta aproveitou depois a paragem da defesa contrária e, após um lançamento lateral, ‘fuzilou’ Niasse, fazendo o 2-0.

Dadashov ainda reduziu para o Tondela, com um bom remate rasteiro, mas Iuri Medeiros, novamente com muita frieza, após grande passe de André Horta, fixou o resultado final.