De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Mundo

Bispos pedem paz na Terra Santa

Os bispos da Coordenação da Terra Santa terminam quinta-feira a sua “peregrinação de solidariedade” onde visitaram os cristãos de Gaza, Ramallah e Jerusalém Oriental e pedem aos governos que “ajudem a construir uma nova solução política”.

“Todos os anos chegamos para encontrar e ouvir o povo da Terra Santa. Somos inspirados pela sua resiliência duradoura e fé numa situação cada vez pior”, lê-se na declaração final da peregrinação de solidariedade, divulga o Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE).

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, a Coordenação das Conferências Episcopais em apoio à Igreja na Terra Santa (Holy Land Coordination, HLC) imploram aos governos que “ajudem a construir uma nova solução política enraizada na dignidade humana para todos”.

Neste contexto, realçam que são os povos da Terra Santa que devem estar “em diálogo” mas “é urgente” que os seus países participem, nomeadamente em “insistir na aplicação do direito internacional”, “reconhecer o Estado da Palestina”, seguindo a liderança da Santa Sé, abordar as preocupações de segurança de Israel e “o direito de todos viverem em segurança” e rejeitar, por exemplo, “atos de violência ou abusos dos direitos humanos por qualquer lado”.

“Ao tomar essas medidas, a comunidade internacional pode estar significativamente solidária com os Israelitas e palestiniano que se recusam a desistir da sua luta não violenta por justiça, paz e direitos humanos”, acrescentam.

Os bispos lembram que foram recebidos por famílias que se focam na “sobrevivência quotidiana” e as suas “aspirações foram reduzidas a itens essenciais, como eletricidade e água limpa” e explicam que em Gaza, “as decisões políticas de todos os lados resultaram na criação de uma prisão ao ar livre, violações dos direitos humanos e uma profunda crise humanitária”.

“Não devemos ignorar a voz das pessoas na Terra Santa”, alerta a coordenação da Terra Santa que nesta peregrinação visitou cristãos de Gaza, Ramallah e Jerusalém Oriental.