De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Desporto

Portugal não tem um sonho, tem um objetivo afirma Fernando Santos

O selecionador português de futebol, Fernando Santos, considerou esta quinta-feira que Portugal “não tem um sonho” de ser campeão mundial, mas o objetivo de o ser, embora admita que não é favorito no Mundial2018.

“Portugal não tem um sonho, tem um objetivo, é diferente de ter um sonho, não se considera favorito, mas como disputou o Europeu, fará o mesmo, de lutar pela vitória”, assinalou o selecionador em conferência de imprensa.

Fernando Santos, que falava à imprensa, antes de a equipa das ‘quinas’ seguir viagem para a Suíça, onde disputará na sexta-feira um particular com o Egito (19:45), e na segunda-feira com a Holanda (19:30), manteve a meta de uma conquista que diz não ser impossível.

“O Cristiano ser o melhor do mundo tem, naturalmente, um peso muito importante”, acrescentou o técnico, quando questionado em relação ao bom momento de forma do internacional português, e às hipóteses lusas.

O selecionador insistiu que não tem o grupo final definido, dos 23 jogadores que serão selecionados, reafirmando que tem um lote alargado de cerca de 35 jogadores e que não serão estes particulares a definir nomes.

“Disse aos jogadores na terça-feira para desfrutarem do estágio, dos jogos, que não serve para dissipar duvidas. Não estão aqui para fazer um teste, estão aqui para fazer parte do estágio”, justificou.

Nani, fora destes convocados, tinha dito que tem confiança em estar no Mundial2018 na Rússia, e Fernando Santos corroborou a ideia de que o extremo da Lazio faz parte desse vasto leque de jogadores.

“O Nani foi muito influente e faz sempre parte desse lote alargado, e o selecionador reconhece isso”, disse.

Em relação a Rúben Dias, central do Benfica que falhou a estreia na seleção devido a lesão, Fernando Santos indicou que não é por isso que o jogador perdeu o comboio, voltando à ideia de fazer parte do grupo alargado.

“Não pode inferir isso [que perdeu o comboio], é igual ao caso do Nani, gostava de o ter visto no contexto da seleção, do grupo, do jogo, mas não o retira do lote alargado de futebolistas”, afirmou.

O treinador disse ainda que preferiu não chamar ninguém para o lugar de William Carvalho, dispensado devido a lesão, e confirmou que Fábio Coentrão não tinha nenhuma lesão detetada, mas que estava queixoso.

“A informação [clínica da FPF] definiu muito bem esta questão, não havia lesão, havia queixas fortes da parte do jogador”, adiantou o técnico português.

Fernando Santos disse ainda serem naturais os casos de lesão nesta fase de época, de muita sobrecarga para os jogadores, lembrando também os casos de Pepe (Besiktas) e Danilo (FC Porto), ausentes pelos mesmos motivos.

“Faz parte, é natural, não me condiciona em nada, tenho um lote alargado de jogadores (…). Aquilo que penso é que temos um lote alargado que dá garantias, nem todos podem estar, vão estar 23, e no momento até podem ser outros”.

A seleção portuguesa de futebol viaja ao início da tarde para Zurique, palco do primeiro jogo particular, na sexta-feira com o Egito (19:45 de Lisboa), vice-campeão africano.

Na segunda-feira a equipa das ‘quinas’ volta a jogar, mas em Genebra, onde defronta a partir das 19:30 a Holanda, naqueles que serão os últimos particulares antes da divulgação dos convocados para o Mundial2018.

Depois destes, Portugal já tem agendados mais três jogos de preparação para o Mundial, a 28 de maio, com a Tunísia, em Braga, a 02 de junho, na Bélgica, e a 07 de junho, com a Argélia, em solo luso.

A seleção das quinas integra o grupo B do Mundial2018, na Rússia, que decorrerá de 14 de junho a 15 de julho, com a Espanha, Irão, de Carlos Queiroz, e Marrocos.