De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Colunistas

Nestum: célebre papa portuguesa celebra 60 anos

Não nos enganemos! Cerelac, Pensal ou Nestum não são apenas meras papas, são memórias, pois cada uma destas marcas faz parte da história das nossas infâncias, verdade? E como eu adoro efemérides, aqui me têm a falar, passe a publicidade, dos 60 anos do Nestum.

Quanto ao sexagenário Nestum, a receita é 100% portuguesa, embora a marca tenha nascido sob a alçada de uma multinacional centenária, a Nestlé. “Nestum, rico em proteínas. O pequeno-almoço completo e equilibrado”. Há seis décadas atrás, era assim que a Nestlé apresentava uma nova papa, uma receita original lusa que pretendia fazer parte da primeira refeição do dia das famílias portuguesas, numa altura em que os cereais de pequeno-almoço ainda não eram um hábito adquirido. Há 60 anos, imperavam nas mesas matinais o pão e a caneca de café com leite e esses alimentos de aparência duvidosa, pois não eram sólidos, nem eram líquidos, ainda eram vistos com alguma desconfiança. Embora já houvesse farinhas lácteas no mercado, as mesmas estavam reservadas aos bebés.

Os flocos solúveis com sabor a mel até podem ser os que predominam na memória colectiva, mas saibam que não foram os primeiros. Aliás, estiveram bastante longe de o ser. Sem qualquer sabor exótico, o primeiro Nestum a nascer era uma caixa de flocos de múltiplos cereais. Mas embora lá fora já constituíssem um hábito, estes cereais não eram importados. Tanto a receita original, assim como os ingredientes, foram, desde o início, 100% portugueses. Em Avanca, no distrito de Aveiro, a fábrica que os concebeu labora há 95 anos, exactamente o mesmo tempo que a multinacional suíça tem em Portugal. Uma vila que está para o sector assim como a Marinha Grande está para o vidro. Foi lá que se procedeu à produção de farinhas lácteas e que, em 1958, saíram as primeiras caixas Nestum para serem distribuídas pelas mercearias e outras pequenas superfícies comerciais espalhadas pelo país.

Ao longo de dez anos, não houve qualquer outro sabor acrescentado. Só em 1968 é que a Nestlé juntou duas novas edições à marca: o Nestum de Arroz e, o meu preferido de sempre, o Nestum de Figo. Um pouco mais tarde, corria o ano de 1971, lá nasceu o mais famoso Nestum, o de Mel, cujo sucesso foi imediato. No final da década de 70, a produção já tinha quadruplicado, com estes últimos flocos a representarem 85% das vendas. Com os anos 80 vieram algumas modernizações. Em 1985, abriu o primeiro hipermercado em Portugal, o Continente de Matosinhos, e também chegaram novas máquinas à fábrica, o que fez a produção aumentar. Hoje, 10% da produção de Nestum é exportada e a tendência é de aumentar. Nesse sentido, a Nestlé portuguesa está de olho no mercado asiático e se pegar, como boa receita lusa que é, o Nestum sairá de Portugal para conquistar o outro lado do mundo.

À lista de sabores juntaram-se ainda o Alperce e o Chocolate, e ainda o Bolacha Maria, mas o certo é que há muito que estes flocos solúveis deixaram de ser apreciados apenas pelas crianças. Segundo um estudo da marca, no ano passado, metade do consumo nacional foi feito por adultos. Não foi, por isso, à toa que a Nestum se soube reinventar. Além do tradicional Nestum Mel, a mais conhecida referência, a marca tem trazido para o mercado opções dedicadas para quem procura um estilo de vida equilibrado, como Nestum Aveia e Fruta (Maçã e Morango), Nestum Mel Cereais Integrais e Nestum 5 cereais. Portanto, se o Nestum marcou infâncias, provavelmente quem era viciado neste produto continua a comê-lo, mas agora numa versão mais fit e saudável. Nesse sentido, foi ainda lançado o Nestum com Aveia e Caramelo e o Nestum com Aveia e Chocolate. Apesar de ter um pouco mais de gordura, o de aveia com chocolate é, com uma diferença muito pequena, o melhor — tem menos açúcar e hidratos de carbono, sendo mais rico em proteínas e fibras, com os níveis de vitaminas e minerais iguais em ambos.

Para celebrar os seus 60 anos, foi lançada uma embalagem comemorativa que, através do seu packagingespecial, recorda a imagem da primeira embalagem lançada pela marca. E também para assinalar o 60º aniversário da Nestum, foi lançada uma edição limitada de banana. Depois de ser “O alimento que nós gostamos”, “A energia para vencer” e “O próximo passo”, a Nestum quer agora mostrar que “Dá mais vida à sua vida” através do seu novo slogan e das novas embalagens já disponíveis.

Porém, parece que não sou o único a quem os flocos com sabor a figo deixaram muitas saudades. À Nestlé têm chegado dezenas de mensagens a pedir o regresso da caixa lilás. A marca não nega a possibilidade de voltar a produzir o Nestum de Figos, mas adianta que primeiro é necessário acertar numa fórmula rentável. Vamos ter de esperar… pois se o Nestum tem 60 anos, tal como os grandes apreciadores destes flocos como eu, não tem idade. Desde 1958, geração após geração, a Nestum tem conseguido estabelecer um forte elo emocional com os portugueses, ao oferecer diferentes referências de produto para todos os gostos, consumidas entre miúdos e graúdos.