De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Desporto

Mundial2018: o dia negro da Alemanha

A campeã em título Alemanha despediu-se do Mundial de futebol de 2018, ao cair pela primeira vez na sua história na fase de grupos, num dia 14 que colocou nos ‘oitavos’ Suécia, México, Brasil e Suíça.

Necessitada apenas de bater a Coreia do Sul, que estava quase eliminada, a formação comandada de Joachim Löw nem um golo marcou, acabando derrotada por dois golos nos descontos, apontados por Kim-Young-gwon (90+3 minutos) e Son Heung-min (90+6).

Os asiáticos despediram-se, mas com uma das maiores proezas da sua história, perante uma Alemanha ‘perdida’, entre outras coisas nas opções de Joachim Löw, que preferiu Neuer, após época lesionado, a Ter Stegen e, misteriosamente, não convocou Sané.

A Alemanha desperdiçou, assim, a dádiva de Toni Kroos, que selara a vitória face à Suécia (2-1), na segunda jornada, já quando tudo parecia perdido, aos 90+5 minutos, devolvendo a equipa à corrida ao apuramento, depois da entrada a perder, face ao México (0-1).

KAZAN, RUSSIA – JUNE 27: Leon Goretzka of Germany controls the ball during the 2018 FIFA World Cup Russia group F match between Korea Republic and Germany at Kazan Arena on June 27, 2018 in Kazan, Russia. (Photo by Shaun Botterill/Getty Images)

O fracasso da Alemanha foi a salvação do México, que, depois de dois triunfos, jogou para não perder com a Suécia e acabou derrotado por inequívocos 3-0, selados, na segunda parte, por Ludwig Augustinsson, Andreas Granqvist (grande penalidade) e Edson Álvarez (própria baliza).

Os suecos conseguiram o resultado que precisavam para não estarem dependentes de outros, enquanto os mexicanos sofreram até final, com o 0-0 da Alemanha – um golo dos alemães significaria o seu adeus -, depois transformado em 0-2.

Embora com sofrimento, os mexicanos estão pela sétima edição consecutiva nos oitavos de final – caíram sempre nessa fase -, sendo, para já, a única equipa qualificada sem ser da Europa ou da América do Sul. Só Japão e Senegal poderão seguir o exemplo.

Ao contrário do que aconteceu no Grupo E, no F não se verificaram surpresas, com o Brasil e a Suíça a qualificarem-se, deixando para trás a Sérvia, mais a Costa Rica, que já chegou eliminada à terceira jornada, com dois desaires.

Em Moscovo, o Brasil, mesmo sem fazer um grande jogo, não teve dificuldades em superar a Sérvia – que precisava de ganhar -, vencendo com um tento de Paulinho, aos 36 minutos, e de Thiago Silva, aos 68, assistidos pelos ‘artistas’ Philippe Coutinho, com um passe em profundidade, e Neymar, num canto.

Os ‘canarinhos’ venceram a Sérvia e o agrupamento, já que, no outro jogo, a Suíça não passou de uma igualdade a dois tentos face à Costa Rica, num jogo em que a sua continuidade em prova nunca esteve em causa, face ao resultado do outro jogo.

A formação helvética esteve duas vezes a vencer, com tentos de Blerim Dzemaili, aos 31 minutos, e Josip Drmic, aos 88, mas os costa-riquenhos, que ainda não tinham marcado, responderam, por Kendall Waston, aos 56, e por Yann Sommer, aos 90+3, de cabeça, na própria baliza, após penálti de Bryan Ruiz à barra.

Face aos resultados desta quarta-feira, o Brasil vai defrontar o México nos oitavos de final, enquanto a Suécia medirá forças com a Suíça, sendo que, quinta-feira, na última jornada, Japão, Senegal e Colômbia lutam pelas duas últimas vagas.