De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Portugal

Moeda romana de prata com mais de 2.000 anos descoberta em Conímbriga

Uma moeda romana de prata do ano 97 antes de Cristo (a.C.) foi encontrada durante escavações arqueológicas junto às ruínas de Conímbriga, anunciou esta quinta-feira a Câmara de Condeixa-a-Nova.

Também denominada vitoriato, por ter a imagem da deusa Vitória, a moeda foi descoberta no decorrer dos trabalhos na Casa Paroquial de Condeixa-a-Velha, no distrito de Coimbra, realizados sob a direção do arqueólogo Pedro Peça.

“Está em muito bom estado de conservação e será integrada no espólio do Museu Portugal Romano em Sicó (PO.RO.S) para que possa ser apreciada por todos”, afirma o presidente da Câmara Municipal, Nuno Moita, citado numa nota da autarquia enviada à agência Lusa.

Para Nuno Moita, “é sempre uma satisfação muito grande trazer à luz do dia tão importantes achados”.

“São prova viva das nossas origens, dos nossos antepassados”.

Esta foi a primeira vez que “uma equipa independente realizou escavações” na zona daquela cidade romana em ruínas, no âmbito das ações do Movimento para a Promoção da Candidatura de Conímbriga a Património Mundial junto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), “com a finalidade de virem a ser enriquecidas as coleções” do Museu PO.RO.S, criado pela Câmara de Condeixa.

As escavações arqueológicas que permitiram a descoberta do quinário decorreram durante três semanas, na Zona Especial de Proteção das Ruínas de Conímbriga, sob a direção de Pedro Peça, com a participação dos arqueólogos Miguel Pessoa, Margarida do Rosário Amado e Carlos Lapa, além do restaurador Pedro Sales.

A Câmara Municipal apoiou financeiramente esta intervenção, disponibilizando diariamente um trabalhador para colaborar naquele trabalho.

Esta campanha de escavações contou ainda com o apoio da União de Freguesias de Condeixa-a-Velha e Condeixa-a-Nova, da Associação Ecomuseu de Condeixa e da Fábrica da Igreja de Condeixa-a-Velha.

Para apoiar os trabalhos arqueológicos, “está acautelada a cedência” de um gabinete e um espaço de arrumos na antiga sede da Junta de Freguesia, de 2018 a 2021.

Para o mesmo período, está também prevista a elaboração de um Plano de Investigação Plurianual de Arqueologia, com a definição de intervenções em Alcabideque, Atadoínha, Barroco, Abufarda, cemitério e igreja de Condeixa-a-Velha, anfiteatro romano, rua da Muralha e ponte romana da Sancha, no Salgueiro, bem como o levantamento para a elaboração da Carta Arqueológica do Município de Condeixa-a-Nova.