De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Suíça

Livro sobre a emigração portuguesa apresentado em Genebra

No passado sábado 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, foi apresentado em Genebra, na Suíça, um dos principais destinos da emigração portuguesa, o livro “Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.

A obra, uma edição bilingue em português e francês, concebida pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a gesta da emigração portuguesa para o centro da Europa nos anos 60 e 70, foi apresentada na Livraria Camões, um espaço cultural de referência da lusofonia em terras helvéticas, e esteve a cargo do tradutor Paulo Teixeira, e do antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa.

O historiador Daniel Bastos e o Cônsul-geral de Portugal em Genebra, Miguel de Calheiros Velozo, ladeados pelo tradutor Paulo Teixeira (esq.), e o antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa (dir.)

 

No decurso da sessão, que contou com a presença de vários representantes da comunidade portuguesa em Genebra, assim como do apresentador e jornalista Jorge Gabriel, que no âmbito do programa “Aqui Portugal” dedicado ao 25.º aniversário da RTP Internacional esteve em antena a partir da Livraria Camões, e do Cônsulgeral de Portugal em Genebra, Miguel de Calheiros Velozo, todos foram unânimes em considerar que as fotografias de Gérald Bloncourt constituem um contributo fundamental para a história da emigração portuguesa.

 

Da dir. para a esq.: o apresentador e jornalista Jorge Gabriel, o proprietário da Livraria Camões, António Pinheiro, o historiador Daniel Bastos, o tradutor Paulo Teixeira, e o antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa

 

Segundo Daniel Bastos, a edição do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt e apresentação do livro em Genebra, na Suíça, um dos principais destinos da emigração portuguesa, cuja comunidade é a terceira maior em terras helvécias, representam “um justo reconhecimento aos protagonistas anónimos da história portuguesa que lutaram aquém e além-fronteiras pelo direito a uma vida melhor e à liberdade”.

Refira-se que a sessão de apresentação, que impulsionou uma enriquecedora tertúlia que revisitou experiências, memórias e testemunhos sobre o fenómeno da emigração lusitana, em particular na Suíça, incluiu um Porto de Honra, um produto emblemático da cultura portuguesa.