De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Portugal

Invasões francesas em Condeixa-a-Nova recriadas por uma centena de figurantes

As invasões francesas no concelho de Condeixa-a-Nova, em 1811, vão ser recriadas entre sexta-feira e domingo por cerca de uma centena de figurantes, disse esta quarta-feira o presidente do município, Nuno Moita.

A recriação, que se realiza pelo terceiro ano consecutivo, terá este ano “uma dimensão muito maior”, a todos os níveis, do que nas duas edições anteriores, que envolveram apenas alguns figurantes e decorreram num só dia, salientou, em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara da vila vizinha de Coimbra.

Na sua retirada de Portugal, a retaguarda do exército francês, comandado pelo general Massena, foi atacado pelas tropas luso inglesas, em 14 de março de 1811, na localidade de Casal Novo, confronto que voltará a ser encenado, mas por mais pessoas e com mais meios do que nas duas edições anteriores.

O rasto de destruição de parte do território que as tropas francesas deixaram no concelho, saqueando e lançando fogo, designadamente a edifícios, como o palácio onde hoje estão os Paços do Concelho de Condeixa-a-Nova, no centro da vila, também será evocado na III edição das Invasões Francesas em Condeixa, que conta com a colaboração de diversas associações de recriação histórico-militar portuguesas e estrangeiras, particularmente do Grupo de Recriação Histórico-Militar de Almeida (no distrito da Guarda) e da Associação Napoleónica.

As vivências daquela época no ‘mercado oitocentista’, com a participação de diversos artesãos, com destaque para os ceramistas das louças de Conímbriga, e vários momentos culturais e de recreio e lazer fazem igualmente parte do evento, que pretende “reafirmar Condeixa como uma terra com História e histórias marcantes” e promover o turismo, sublinha Nuno Moita.

O evento tem início na sexta-feira, às 18:00, com a abertura do ‘mercado oitocentista’ na Praça da República, realizando-se, à noite (21:30), o baile iluminista e a recriação do incêndio do Palácio dos Figueiredos (atual edifício da Câmara).

No sábado, haverá marchas e parada militar (10:30), e exercícios militares e exposição de maquetes nos Paços do Concelho (17:00), combates de rua e expulsão dos franceses (22:00) e uma serenata futrica coimbrã (na Praça da República, às 23:00).

A recriação da batalha do Casal Novo (local para onde será assegurado transporte e para o qual já estão inscritas cerca de duas centenas de pessoas), “com armas de fogo da época disparando pólvora seca”, em resultado de uma parceria com Associação Portuguesa de Recriações Históricas, está agendada para as 09:00 de domingo, dia em que se manterá em funcionamento o mercado oitocentista e para o qual também estão previstas animação com gaiteiros e poetas e, às 16:00, um concerto da banda filarmónica oitocentista de Vila Nova de Anços (Soure).