De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Motores

Hyundai Kona/Kauai: que carro tão giro!

Comecemos pelo nome deste novo Hyundai. A denominação planetária escolhida pela marca coreana é Kona, uma zona turística do Havai, mas no mercado português é vendido como Kauai que é o nome da quarta maior ilha das ilhas daquele arquipélago.

Kona ou Kauai, o novo crossover da Hyundai é atraente e chama a atenção. Ou pelo menos, essa foi a sensação que tivemos enquanto andávamos com este automóvel. As pessoas olham com um ar admirado e curioso e há quem até comente com quem vai ao lado: “Que carro tão giro!”

Essa é a primeira reação que temos ao olhar para o SUV compacto da Hyundai, pois é um automóvel diferente, algo radical, jovem e com um aspeto bastante dinâmico.

Na carroçaria encontramos a cor escolhida, plástico, preto brilhante e cromados. Na frente temos luzes com fartura e todas colocadas de forma meticulosa em prol do design. Faróis de nevoeiro colocados mais abaixo no para-choques, óticas colocadas ao centro do para-choques, iluminação diurna mais acima junto ao capô, são alguns detalhes que distinguem o novo Kona/Kauai. Ainda há espaço para uma grelha aberta e para uma imitação de entrada de ar por cima da grelha.

As abas das rodas em plástico contam com uma abertura na frente para arrefecimento da travagem. Ainda na carroçaria, temos portas altas, vidros laterais de dimensões mais reduzidas e por isso, uma linha de cintura pouco curva mas elevada.

Passando ao interior, o estilo radical, irreverente e jovem mantém-se. Face aos outros modelos da marca há uma série de elementos no interior que ficam na cor da carroçaria, tais como os cintos de segurança, molduras das saídas de ar, aro do botão de ignição, pesponto do volante e maneta da caixa de velocidades e também os assentos adotam em parte a cor da carroçaria. O interior é sóbrio e intuitivo, reúne uma boa qualidade de montagem e uma qualidade de materiais bastante aceitável. Em termos de espaço, viaja-se à vontade nos lugares dianteiros e traseiros e a bagageira tem 361 litros de capacidade que se estende até aos 1143 litros através do rebatimento dos assentos.

O interior está recheado de equipamento com carregador para smartphones sem fios, espelho retrovisor interior com escurecimento automático, rádio touchscreen de 7 polegadas, volante multi-funções com pele perfurada, ar condicionado automático, sistema de ajuda ao estacionamento com câmara traseira, botão start da ignição, sistema de ajuda à descida, entradas USB e Aux e ainda estofos em couro e tecido.

O sistema de multimédia da versão ensaiada não tinha navegação, mas os menus e as restantes funções são iguais às dos sistemas com navegação. Este sistema está implementado num ecrã táctil de sete polegadas, e é intuitivo, tem boa imagem e está preparado para Android Auto e Apple CarPlay. Já o painel de instrumentos também fornece as informações necessárias de forma completa, num pequeno ecrã monocromático de 3,5 polegadas.

O conforto a bordo está garantido por assentos com um bom apoio lombar, que trabalham em conjunto com uma suspensão bem afinada afim de em conjunto proporcionarem viagens agradáveis.

No lugar do condutor a posição não é excessivamente alta, como acontece em alguns modelos deste segmento. Os comandos estão colocados de forma acessível, um volante com boa pega e uma maneta da caixa de velocidades bem colocada. A visibilidade é razoável, à exceção do óculo traseiro de dimensões reduzidas que nos pode pregar algumas partidas se não tivermos a câmara de ajuda ao estacionamento ou sensores.

A condução do Hyundai é deveras agradável, uma vez que contamos com uma direção direta e um comportamento que deixa a grande maioria dos crossovers da sua classe a um canto. A isto juntamos uma suspensão firme mas não em excesso e uma caixa de velocidades agradável de utilizar.

O motor é um 1.0 litros de 3 cilindros com turbo que debita 120cv de potência. É pouco “redondo” e torna-se bastante anémico nas rotações mais baixas. Já nas rotações mais elevadas e nos médios regimes a potência sente-se bem, mas os consumos não perdoam, uma vez que começam desde logo a disparar quando queremos aumentar o ritmo. Numa condução calma conseguem-se consumos de 6,4 Litros a cada 100km, o que apesar de não ser extraordinário, está longe de ser mau, tendo em conta algumas motorizações realmente gastadoras da concorrência. A aceleração dos 0 aos 100km/h cumpre-se em 12 segundos, antes de atingirmos a velocidade máxima de 181km/h.

Nos terrenos mais acidentados, a atenção tem que ser redobrada. Apesar de ser um crossover, o Hyundai Kona/Kauai está longe de ter uma grande altura ao solo e isso pode fazer com que tenhamos de “dar uso” às proteções de carroçaria. Os ângulos de ataque, também não são beneficiados pela frente mais pronunciada e pelo para-choques traseiro com um design mais direito. Apesar de não ser o automóvel ideal para “descer paredes”, o SUV conta com sistema de ajuda à descida que nos permite retirar os pés dos pedais sem que aconteça uma desgraça, o Hyundai vai descendo, deixando-nos apenas preocupados em manter a direção.

No campo da segurança, o Kona/Kauai conta com aviso de transposição involuntária de faixa, travagem de emergência ativa com deteção de peões, alerta de fadiga do condutor e aviso de ângulo morto, todos estes equipamentos, caso esteja equipado com o pack Hyundai SmartSense.

Nos testes EuroNCap, o novo crossover coreano já obteve as 5 estrelas, conseguiu 87% na proteção dos adultos, 85% na proteção das crianças, 62% na proteção de peões e 60% nas ajudas à condução.

MAIS MOTORES EM CAR ZOOM