De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Colunistas

Fumador

Confesso que foi mais ou menos por esta altura, que há 5 ou 6 anos deixei de fumar. Chateia-me não saber o ano nem o dia mas sei que foi em Fevereiro! No início escrevia bastante sobre o assunto, e a primeira semana, o primeiro mês, o segundo mês, o primeiro ano! Depois deixei-me disso porque deixou de me apetecer escrever sobre o tema, mas mais importante porque um amigo meu estava à custa de eu estar sem fumar, tinha a mulher a moer-lhe a cabeça para que ele seguisse o meu exemplo e isso é muito chato e qualquer dia ele odiar-me-ia.

Mas continuo a ser fumador, apenas um fumador que não fuma e manter-me-ei nessa circunstância o tempo de for necessário.  É que os ex-fumadores são uns chatos e uma praga, e dizem “faz como eu ”, “olha que isso faz-te mal”, “por amor de Deus, não fumes aqui”, “já não suporto o fumo” e depois compram bicicletas e correm na rua e comem coisas biológicas. Garanto-vos que um ex-fumador é um tipo muito mais chato que uma pessoa que nunca fumou porque está carente de nicotina.

Como continuo a ser fumador mesmo que não fume há cerca de 2.200 dias (desde o primeiro parágrafo para este, estou inclinado que tal tenha acontecido há 6 anos), os outros fumadores não precisam de se preocupar comigo pois não lhe vou dar seca, não vou dizer que é fácil e o que é preciso é força de vontade, não tenho problemas que as pessoas fumem no meu carro, no meu apartamento, na mesma mesa do café a beber umas cervejas. Além de mais, grande parte da minha família e amigos fumam todos os dias e várias vezes por dia, e como é óbvio gosto de estar com eles sem qualquer tipo de reserva da minha parte, nem a implicar com eles.

Também não tenho nenhuma fórmula de sucesso e 100% eficaz nem sequer me considero um caso de sucesso. E tudo aconteceu por mero acaso, com uma ida ao médico de família por causa do colesterol, e ele estava rodeado de duas estagiárias muito bonitas, e quando me sugeriram que eu deixasse de fumar, alinhei logo. Foi uma decisão estranha mas à borla porque eu nunca acreditei eu deixaria de estar sem fumar mais do que duas horas seguidas. E então combinamos a próxima consulta que seria o dia D.

Eu já uma vez tinha estado sem fumar quase um anos e custou-me muito, tornei-me quezilento nos primeiros meses, sempre com vontade de implicar, mas lá estive sem fumar até que um dia fui para Fortaleza no Brasil com a equipa de rugby de veteranos da Académica e mais os veteranos de equipas francesas, espanholas e creio que também lá estavam ingleses, para um pequeno torneio de rugby de praia entre estas equipas europeias. E a boa vida puxa ao cigarro…

E foi assim, e na consulta, estavam muito alegres, as estagiárias afinal não eram assim tão giras quanto eu pensava, e depois de uma consulta muito alegre, pateticamente motivadora, receitaram-me uns pensos com nicotina, umas pastilhas elásticas com nicotina e uns ansiolíticos muito leves para não andar a oferecer pancada às pessoas.

E andei nesta vidinha um mês e depois resolvi deixar os pensos e as pastilhas porque estes produtos que ajudam uma pessoa a deixar de fumar são muito caros e não são comparticipados, e para prejuízo, preferia fumar a tabaco porque é muito bom e mais barato que as pastilhas e os pensos.

Se me sinto mais feliz e mais saudável por ter deixado de fumar? Não, não sinto! Deixei de ter catarro do fumador mas de resto sinto-me na mesma e ainda hoje o cigarro faz-me falta! Se vou voltar a fumar? Acho que não, aprendi que é de evitar o “é só um em dia de festa” ou que “já não fumo há anos, controlo perfeitamente um cigarro”.

Para os que nunca fumaram e não entendem porque é que as pessoas deitam fumo pela boca como o dragões, garanto-vos que o tabaco é um vício, e como todos os vícios, há um prazer inerente a fumar! Garanto-vos que fumar é um prazer, então aquele cigarro, às vezes dois de rajada, depois de uma reunião de três horas seguidas, é o máximo, um tipo fica aliviado, relaxado e feliz.

Fiz bem em estar sem a fumar há tanto tempo? Não sei, mas defini este rumo e estou convencido eu nunca voltarei a fumar na vida, isto é, no dia em que fizer 100 anos acho que não vou resistir a um cigarro.

E é isto…