De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Suíça

“Estrada da morte” em França tira a vida a quatro portugueses

O autocarro que este domingo de madrugada se despistou no centro de França seguia para Genebra, na Suíça, com emigrantes que tinham vindo passar a passagem de ano a Portugal.

Entre as vítimas mortais do acidente com o autocarro da Rota das Gravuras, está o casal José e Lídia Montês, com cerca de 60 anos, natural de Freixo, Vila Nova de Foz Côa e residentes em Freixo de Numão, que regressava à Suíça depois de ter cumprido a tradição de passar o ano em Portugal.

Há cerca de 30 anos emigrado, José, com 59 anos, era trabalhador da construção civil na Suíça. O filho deste casal, Paulo Montês de 38 anos, partiu as duas pernas no despiste do autocarro.

casal

José e Lídia Montês

Outra das vítimas identificadas é Marília Nogueira, natural de Nevogilde, Lousada, que seguia com o marido e os dois filhos. O marido e o filhos mais novo ficaram feridos e encontram-se sob vigilância médica, sendo que o filho mais velho saiu ileso do acidente. Inicialmente pensava-se que esta passageira fosse natural de Penafiel, uma vez que foi nesta cidade que foi apanhar o autocarro.

Notícias de Penafiel

Marília Nogueira, de 32 anos, era natural de Nevogilde, Lousada

A quarta vítima é Graça Murça, de 58 anos, natural de Foz Côa, que se dirigia para a Suíça para tomar contas das netas enquanto a mãe trabalha.

JN

Graça Murça, de 58 anos, natural de Vila Nova de Foz Côa

Um dos motoristas,  terá ficado ferido com gravidade.

A bordo do autocarro, que transportava 32 passageiros, seguia um grupo de 13 pessoas do concelho de Penafiel, distrito do Porto, sendo as restantes de localidades do concelho de Vila Nova de Foz Côa, distrito da Guarda, de onde são três das vítimas mortais.