De que está à procura ?

suica
Lisboa
Porto
Berna, Suiça
Portugal

Açores: 57% dos estagiários conseguem emprego

O vice-presidente do Governo Regional dos Açores, Sérgio Ávila, realçou que mais de metade dos jovens que frequentam programas de estágio na região conseguem encontrar emprego.

“57% dos jovens, após concluir o seu estágio, têm conseguido emprego, sendo que isso demonstra que o ‘Estagiar’ tem sido um contributo muito significativo para a entrada no mercado de trabalho dos jovens após a conclusão da sua formação”, adiantou.

O governante falava à margem de uma reunião com jovens que frequentam programas de estágio e de integração de estagiários na Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo, uma das instituições que mais tem recorrido a estes programas na ilha Terceira.

Em outubro, iniciaram os programas ‘Estagiar L’ (para licenciados) e ‘Estagiar T’ (para formados em cursos técnico-profissionais) mais 890 jovens, mas nos últimos quatro anos foram 7.760, sendo que destes 57% foram contratados.

“O programa ‘Estagiar’ tem representado um esforço muito significativo, num investimento que só nos últimos quatro anos foi superior a 50 milhões de euros, de contribuir para a empregabilidade dos jovens açorianos”, afirmou Sérgio Ávila.

Parte destes jovens foi integrada nas empresas ao abrigo do Programa de Incentivo à Inserção do Estagiar L e T (PIIE), que segundo o vice-presidente do executivo açoriano já abrangeu 1.865 estagiários.

Sérgio Ávila frisou que o Governo Regional tem apostado em programas adicionais para incentivar a contratação permanente para garantir a estabilidade dos jovens.

“Conseguimos reduzir felizmente a taxa de desemprego para menos de metade do que era há quatro anos. Neste momento, o grande desafio coloca-se ao nível da estabilidade laboral. Redirecionámos há um ano uma parte significativa dos apoios ao emprego, não para a contratação pura e simples, mas para a contratação sem termo”, apontou.

O executivo açoriano alterou, por outro lado, as regras do programa ‘Estagiar’, para evitar abusos por parte dos empregadores.

“Nós detetávamos que infelizmente havia algumas empresas que utilizavam o Estagiar sistematicamente sem contratar e por isso alterámos o programa Estagiar, de forma a obrigar que só possa concorrer ao Estagiar quem tenha contratado pelo menos metade dos ex-estagiários”, salientou.